Cotonicultores qurem novas variedades transgênicas

SÃO PAULO, 17 de agosto de 2007 - "Não é possível que o Brasil, que tem o algodão de maior qualidade do mundo, continue relegado ao atraso tecnológico. Não é possível que o mundo esteja errado e só nós estejamos certos", desabafou, durante Audiência Pública realizada pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), o produtor João Carlos Jacobsen, presidente da Abrapa (Associação Brasileira dos Produtores de Algodão) e vice-presidente da Aiba (Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia).

Em sua manifestação, ele apresentou ao presidente da CTNBio, prof. Walter Colli, um abaixo-assinado em nome de 725 cotonicultores brasileiros, que representam 80% da área plantada no Brasil, reivindicando o acesso a novas variedades de algodão transgênico. Até agora, o Brasil conta com apenas uma variedade transgênica: o Bollgard I (Bt), da Monsanto, que atua no controle de pragas típicas dessa lavoura.

De acordo com João Carlos Jacobsen, a Índia - que tem acesso a três variedades de algodão transgênico - já conseguiu ampliar a produtividade de tal forma (de 400kg/ha para 550 kg/ha) que isso representa colher anualmente mais 31% na mesma área de cultivo, o equivalente a uma safra brasileira integral, que está prevista em 3,91 milhões de toneladas para 2006/2007.

(Redação - InvestNews)