Cena externa influencia positivamente nos negócios

SÃO PAULO, 8 de agosto de 2007 - Mais uma vez, Nova York ditou o rumo dos negócios. Só que ao contrário do que vem acontecendo na maior parte dos dias, hoje a influência foi positiva. O bom desempenho de Wall Street favoreceu melhora nos principais ativos domésticos. No entanto, a mudança de humor não significa mudança de tendência. O foco continua sendo o setor de crédito imobiliário dos Estados Unidos.

Pela manhã o Departamento de Comércio dos EUA informou que as vendas no atacado superaram a formação de estoques durante o mês de junho. Tal movimento sinaliza que as companhias seguirão com as encomendas à indústria. Os estoques cresceram 0,5% em junho, mesma variação apresentada em maio. No entanto, as vendas cresceram 0,6%, seguindo uma alta de 1,3% no mês anterior.

Internamente, o destaque hoje ficou para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de julho, principal índice de inflação a balizar a política monetária. O indicador apresentou alta de 0,24% mês passado, abaixo da variação de 0,28% apurada em junho. O resultado ficou dentro do esperado pelos analistas de mercado, que previam inflação entre 0,20% e 0,30%.

Ainda no campo de inflação, foi divulgado o resultado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) que subiu 0,32% em julho, permanecendo praticamente estável se comparado com junho (0,31%). Foi informado também que o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de 07 de agosto de 2007 que registrou alta 0,34%, perto do teto das previsões dos analistas de mercado, que esperavam um resultado entre 0,25% a 0,35%, com mediana em 0,32%.

Para profissionais de renda fixa, os indicadores de inflação mostram que a economia brasileira está fortalecida e é capaz de superar turbulências internacionais. "Por outro lado, mesmo com a inflação controlada o colegiado do Banco Central deve agir com cautela decorrente da produção industrial que está forte", friza um dos analistas.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2010 passou de 11,26% para 11,13% ao ano. Este contrato teve 275,3 mil negócios fechados e giro de R$ 21,3 bilhões.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais