Economia americana concentra as atenções

SÃO PAULO, 20 de junho de 2007 - O mercado de renda fixa oscilou à mercê da cena externa. No final dos negócios, a maioria das projeções de juros dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) negociados na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) apontou avanço. O DI de janeiro de 2010, ficou com juro anual de 10,39%, ante 10,31% do ajuste anterior. O avanço dos rendimentos dos títulos públicos dos EUA respingou nas operações brasileiras.

Segundo operadores, outros eventos no cenário externo também trouxeram cautela aos investidores. A China foi um deles. Especulações de que novas medidas oficiais podem ser tomadas para esfriar a economia abatem os ativos ao redor do mundo.

Por outro lado, internamente, fatores como inflação sob controle e perspectivas cada vez mais baixas justificam a expectativa de boa parte do mercado em relação a um nove corte de 0,50 ponto da taxa Selic, fixada em 12% ao ano, na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), agendada para os dias 17 e 18 de julho.

Pela manhã, foi divulgado o resultado da segunda quadrissemana do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) que avançou 0,49%, acima das expectativas dos analistas que estimavam inflação entre 0,35% a 0,45%, com mediana de 0,40%.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)