Redecard apresenta oferta de R$ 3,5 bilhões

SÃO PAULO, 19 de junho de 2007 - A Redecad, empresa do setor de cartões de crédito, apresentou hoje os termos de uma oferta de ações que pode movimentar mais de R$ 3,5 bilhões. Caso concretizada, esta será uma das maiores distribuições dos últimos anos. O montante supera em mais de duas vezes a oferta da JBS, dona do frigorífico Friboi, que levantou R$ 1,6 bilhão, até então maior IPO de 2007.

De acordo com o prospecto preliminar, a distribuição compreende a emissão de 140.827.527 ações ordinárias em oferta primária e secundária. O preço de emissão está estimado entre R$ 20 e R$ 25 por papel. O total ofertado ainda pode ser acrescido de lote suplementar e adicional de 35%. Os coordenadores são os bancos Itaú BBA, Unibanco e o Citigroup Global Markets Brasil.

O investidor pessoa física interessado em participar da oferta tem do dia 26 de junho ao dia 10 de julho para fazer seu pedido de reserva junto às corretoras consorciadas. O valor mínimo de investimento é de 3 mil e o máximo de 300 mil. Pelo cronograma da oferta, o preço de emissão será fixado dia 11 e as ações começam a ser negociadas no Novo Mercado da Bovespa no dia 13 de julho, sob o código RDCD3.

O negócio da companhia é o credenciamento de estabelecimentos para aceitação de uso de cartões de crédito das bandeiras Dinners e Mastercard como meio de pagamento. Segundo o prospecto, a Redecard teve uma participação de mercado de 34% no valor das transações com cartões, que alcançaram R$ 246,3 bilhões em 2006. Ainda de acordo com dados do ano passado, a companhia capturou e processou mais de 1,5 bilhão de transações, apresentado uma taxa média de crescimento de 27,8% ao ano desde 2002.

Do total ofertado, 15.555.555 de ações correspondem à oferta primária, que pode resultar em uma captação de R$ 388 milhões para o caixa da Redecard. Recursos que serão destinados à infra-estrutura tecnológica utilizada para suas atividades, notadamente à compra de equipamentos responsáveis pelas transações e softwares de captura, processamento e liquidação das operações com cartões de crédito.

As 125.271.972 ações restantes são de emissão dos acionistas vendedores, bloco formado pelo Citibank, Itaucard e Unibanco Participações. Citibank e Itaucard detêm 31,9% de participação cada, montante que cairá para 25% com a oferta. O Unibanco Participações reduz sua parte no capital de 12,5%, para 6%. O Unibanco ainda detém participação indireta de 19,4% do capital por meio da Dibens Arrendamento Mercantil. Com a oferta, o free float da Redecard ficará em 25%.

A história da Redecard remonta a 1970, quanto o Citibank a Itaucard e o Unibanco juntaram-se para fundar a Credicard. Em 1996 as instituições acharam necessária a especialização do serviço de credenciamento dos estabelecimentos e formaram a Redecard.

Em 2006, a Redecard possuía mais de um milhão de estabelecimentos credenciados, estando presente em todos os municípios brasileiros com infra-estrutura de energia e telecomunicações. Entre os estabelecimentos credenciados, 639 mil estavam ativos no ano passado.

A companhia encerrou o primeiro trimestre do ano com lucro líquido pró-forma de R$ 217 milhões, um crescimento de 76% sobre o registrado em igual período de 2006. A receita líquida cresceu 29,5%, para R$ 545 milhões.

(EC - InvestNews)