Depois de três recordes, bolsa fecha em queda de 0,16%

SÃO PAULO, 19 de junho de 2007 - Depois de três recordes de alta consecutivos, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrou leve queda no fechamento do pregão puxada pelo desempenho das ações da Companhia Vale do Rio Doce. O Ibovespa caiu 0,16%, a 54.644 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 4,338 bilhões.

Sem notícias relevantes no cenário externo, a bolsa sofreu as oscilações do preço das commodities metálicas no mercado internacional. Nos Estados Unidos, a notícia de que a construção de casas cedeu 2,1% em maio para uma taxa anualizada de 1,474 milhão, divulgada hoje pelo departamento de comércio dos EUA, indicou que o ajuste no setor seguirá por mais tempo e foi bem recebido pelo mercado. "Neste momento, um enfraquecimento do setor imobiliário pode ajudar a segurar as pressões inflacionárias, o que foi recebido como positivo pelo mercado", afirma Daniel Gorayeb, analista de investimento da corretora Spinelli. O índice Dow Jones subiu 0,16%, enquanto a Nasdaq fechou estável.

De acordo com Gorayeb, a expectativa é que a volatilidade possa aumentar um pouco nos próximos dias, sem afetar a tendência de alta da bolsa para o curto prazo. A ressalva segue sendo o cenário externo.

Destaque para as ações da Petrobas, que continuam refletindo a alta no preço do petróleo no mercado internacional. A Petrobras PN (PETR4) subiu 1,11%, para R$ 51,53, e a Usiminas PNA (USIM5) ganhou 0,82%, para R$ 110,50.

Liderando a alta estão as ações da Eletrobras PNB (ELET6) subiu 2,70% para R$ 56,11, Comgas PNA (CGAS5) com alta de 3,24%, a R$ 485,25 e Eletrobras ON (ELET6) fechou em alta de 2,50% a R$ 56,80.

Bom desempenho também para os papéis da Souza Cruz ON (SBSP3) que avançaram 2,12% a R$ 47,50 e CCR Rodovias que subiram 1,70% a R$ 32,90.

Na ponta de venda, Sabesp (CESP4) caiu 2,56%, para R$ 43,35. A Bradespar PN (BRAP4) recuou 3,12%, para R$ 74,50.

(Silvia Regina Rosa - InvestNews)