Demanda mundial por PVC tem viés de elevação

SÃO PAULO, 19 de junho de 2007 - Um relatório publicado recentemente pelo U.S Green Building Council (USGBC) classificou o PVC como um plástico seguro e que respeita todas as categorias de impactos ambientais e da saúde humana. A decisão do órgão de controle da sustentabilidade na construção dos Estados Unidos deverá abrir novos mercados para o produto no Brasil e, principalmente, no exterior, prevê o diretor do Instituto do PVC, Miguel Bahiense.

'Hoje, questões referentes à sustentabilidade do produto são cada vez mais consideradas nas decisões das empresas', diz. No Brasil, já há construtoras que consideram a questão ambiental como um ponto estratégico a ser analisado na escolha dos materiais utilizados na construção, lembra o executivo.

Por isso, a resolução norte-americana chega em um momento importante para as fabricantes, que vêem o número de novos projetos no País expandir. Isso tem impulsionado a receita com as vendas de materiais de construção ao mercado interno, em alta de 10,3% nos cinco primeiros meses de 2007, ante igual período de 2006.

Além disso, as construtoras também serão responsáveis por importantes obras previstas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e deverão considerar a questão sustentabilidade como um dos diferenciais a serem apresentados nos processos concorrenciais. 'A expectativa anterior era de que a demanda nacional por PVC crescesse entre 7% e 8% neste ano, mas quanto mais real se tornar o PAC, maiores são as chances de que haja uma revisão nessa projeção', afirma Bahiense. Nos cinco primeiros meses de 2007, a demanda nacional apresenta expansão de 14,2% em relação a igual período do ano passado.

(André Magnabosco - InvestNews)