Caixa e BB seguem BC e anunciam redução de suas taxas de juros

Agência JB

BRASÍLIA - O Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal anunciaram para a próxima segunda-feira a redução de taxas de juros aplicadas aos seus clientes. A decisão dos dois bancos públicos é reflexo da redução da taxa básica de juros, a Selic, em 0,5 ponto percentual, anunciada nesta quarta-feira, pelo Comitê de Polícia Monetária (Copom) do Banco Central. O Banco do Brasil reduzirá as taxas mínimas do cheque especial e do cartão de crédito de 1,94% para 1,90% ao mês. Já as taxas máximas desses mesmos produtos terão redução de 7,64% para 7,60% ao mês.

No caso das modalidades de crédito direto ao consumidor (CDC), foram reduzidas várias taxas, entre elas a BB Crédito Parcelado que passou de 3,08% para 3,04% ao mês.

Segundo o Banco do Brasil, também serão reduzidas as taxas de juros do Cheque Ouro Empresarial e do BB Giro Rápido Rotativo nas modalidades destinadas ao segmento de micro e pequenas empresas a taxa mínima agora é de 4,97% ao mês e a máxima de 7,55% ao mês ante os 5,01% s e 7,59% cobradas até agora, respectivamente. O BB Giro Automático, linha de capital de giro para microempresas com faturamento bruto anual de até R$ 500 mil, passa a ter taxa de 2,39% ao mês.

Já a Caixa Econômica Federal anunciou a redução de taxas para operações de pessoas físicas. As taxas de juros do penhor, para a faixa de empréstimo de até R$ 300, baixaram de 2,26% ao mês para 2,10%. Para os empréstimos acima desse valor a nova taxa é de 2,88% ao mês, antes era de 2,92%. No crédito pessoal para antecipação do 13º salário, as novas taxas são de 2,84% ao mês a 2,80%, uma queda de 0,11 ponto percentual em relação as taxas anteriores.

Segundo a Caixa, no consignado, que é a modalidade de empréstimo com desconto em folha de pagamento, a queda da taxa depende também do prazo do financiamento. Na consignação voltada para o setor público, com prazo de empréstimo entre seis e 72 meses, as taxas caíram de 3,19% para 2,90% e de 1,48% para 1,07% ao mês. Para os trabalhadores da iniciativa privada, o desconto em folha só pode ser contratado até o prazo de 36 meses. Nesse caso, a taxa baixou de 3,80% para 3,61%.