PF ouve hoje acusados no MS

SÃO PAULO, 6 de junho de 2007 - A Polícia Federal (PF) em Mato Grosso do Sul ouve hoje os depoimentos do acusado de ser um dos chefes do esquema de exploração de caça-níqueis, o ex-deputado estadual do Paraná Nilton César Servo, e o seu filho Victor Emanuel Servo.

Os dois foram detidos ontem, em Uberlândia (MG), acusados de envolvimento em fraudes e crimes que beneficiaram jogos ilegais, esquema investigado pela Operação Xeque-Mate da Polícia Federal.

O filho do ex-deputado é acusado de gerenciar as casas de bingo e máquinas caça-níqueis distribuídas por três estados: Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Outros 76 investigados pela Operação Xeque-Mate foram ouvidos ontem pela Polícia Federal, até por volta das 20 horas, segundo a assessoria de imprensa da Polícia Federal.

A PF preferiu apressar os depoimentos, com um mutirão de dez delegados colhendo as informações, já que todos os acusados têm prisão temporária de cinco dias, apesar de esse prazo poder ser prorrogado pela Justiça.

Diferentemente do que tinha sido informado anteriormente pela Polícia Federal, até ontem foram presos 78 acusados e não 79. O irmão do secretário municipal de Saúde, Luis Henrique Mandetta, Hércules Mandetta Neto, que estava na lista de detidos, na verdade ainda está foragido.

A Polícia Federal também indiciou por crimes de tráfico de influência e exploração de prestígio o irmão mais velho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Genival Inácio da Silva, o Vavá, que não foi preso. Na última segunda-feira (4), a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do acusado, de onde foram levados documentos.

(Redação - InvestNews)