Índice registra terceiro dia de realização

SÃO PAULO, 6 de junho de 2007 - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrou o terceiro pregão consecutivo de queda. O cenário externo seguiu influenciando as negociações e o Ibovespa encerrou a quarta-feira com depreciação de 2,09%, aos 52.049 pontos. O giro financeiro estava em R$ 3,92 bilhões. O ganho no ano ainda está em 17%.

Movimento de venda também em Nova York, onde os investidores refletiram uma alta no custo da mão de obra e um recuo na produtividade do trabalhador. O Dow Jones recuou 0,95%, enquanto a Nasdaq perdeu 0,92%.

"É apenas uma realização natural, saudável. O mercado vinha subindo forte", disse Nami Neneas, responsável pela área de renda variável da Banif Corretora.

Para o especialista, o mercado tem todas as condições para continuar em alta. "Reservas elevadas, preços atrativos em comparação com outros emergentes, um passo do investment grade. Os fundamentos seguem positivos, dá para continuar em alta", avalia.

Segundo Neneas, o que poderia decepcionar o mercado seria um corte inferior a 0,5 ponto percentual na Selic, mas mesmo assim não mudaria a tendência de queda nos juros, movimento que favorece a entrada de recursos na renda variável.

Quanto à China, assunto que vem dominando a pauta devido ao movimento de correção que ocorre por lá, Neneas indica que pelo lado do crescimento não tem como o país parar. A questão é a Bolsa que sobe fortemente em função dos próprios investidores internos que têm poucas opções de investimento em um momento de crescimento de renda.

Puxando as vendas, as ações da Petrobras (PETR4) caíram 2,25%, para R$ 46,91. E a Vale (VALE5) cedeu 2,45%, para R$ 73,51. Queda acentuada para o Bradesco (BBDC4), que recuou 2,96%, para R$ 48,04, e para a Usiminas (USIM5), que desvalorizou 2,47%, para R$ 106,60.

Destaque de alta para a Comgás (CGAS3), que ganhou 0,99%, para R$ 457. A Natura (NATU3) subiu 0,83%, para R$ 26,65. e a Ipiranga (PTIP4) também avançou 0,83%, para R$ 24,20.

A estreante InPar (INPR3) subiu 0,34%, para R$ 17,56. A companhia entrou para o Novo Mercado com a emissão primária de 37,8 milhões de ações ordinárias, que resultaram na captação de cerca de R$ 661 milhões.

(Eduardo Campos - InvestNews)