Índice opera em baixa de 2,10%

SÃO PAULO, 6 de junho de 2007 - Reagindo as notícias do mercado norte-americano, o Ibovespa operava em baixa de 2,10%, aos 52.044 pontos, com giro financeiro em R$ 1,592 bilhão.

Em Nova York, o Dow Jones cai 0,95% e a Nasdaq perde 1%. Os investidores reagem ao anúncio do Departamento de Trabalho dos Estados Unidos que apontou que a produtividade do trabalhador norte-americano cresceu menos que o estimado nos primeiros meses de 2007, com crescimento de 1% na taxa anualizada contra os 1,7% apresentados mês passado. No entanto, o custo da mão de obra subiu mais do que o previsto, elevando as preocupações com possíveis pressões inflacionárias, registrando alta de 1,8% neste segunda preliminar, resultado três vezes superior à alta de 0,6% primariamente registrada.

Ainda hoje os investidores esperam o anúncio do Copom sobre o corte na taxa básica de juros (Selic) após o fechamento do mercado. Os analistas esperam um corte de 0,50 ponto percentual na taxa Selic, atualmente em 12,50% ao ano.

Os principais papéis da carteira teórica do Ibovespa apresentavam baixa. As ações da Usiminas PNA (USIM5) recuava 2,74%, para R$ 106,30; Bradesco PN (BBDC4) registrava perda de 2,94%, a R$ 48,05; Vale R Doce PNA (Vale5) caía 2,46%, para R$ 73,52; Petrobras PN (PETR4) registrava perda de 1,66%, para R$ 47,19 e Itaú PN (ITAU4) recuava 2,38%, para R$ 83,95.

Destaque de alta para as ações da Embraer (EMBR3) que subiam 0,42% cotados a R$ 23,40 e para os papéis da Comgas (CGAS5) com alta de 0,11% a R$ 453.

Entre as maiores baixas estavam as ações da Cyrela Realt ON (CYRE3) que caíam 4,79% a R$ 23,23, Perdigão ON (PRGA3) com queda de 4,41% a R$ 34,21 e Souza Cruz ON (CRUZ3) com baixa de 4,30% a R$ 46,70.

(Silvia Regina Rosa - InvestNews)