Ciclone atinge Omã e atrapalha exportação de petróleo

REUTERS

DUBAI - O ciclone Gonu castigava o Omã nesta quarta-feira, suspendendo pelo segundo dia seguido as exportações de petróleo do país árabe e obrigando milhares de pessoas a fugir do litoral. Mas a tempestade perdeu força ao avançar pelo golfo de Omã, uma importante rota petrolífera. Na terça-feira, o sistema tinha chegado à força máxima de um furacão, a categoria 5, mas na terça-feira caiu para a categoria 1, com ventos de cerca de 120 km/h, disse o Centro Conjunto de Alerta de Tufões das Forças Armadas dos EUA.

O departamento meteorológico de Omã disse que o olho da tempestade atingiu a terra firme por volta da meia-noite, e que ela estava avançando para o noroeste, com chuvas torrenciais, ventos e ondas.

- A região leste absorveu a maior parte do impacto, mas nossa expectativa é que a chuva continue hoje e amanhã - disse o diretor do departamento, Ahmed al-Harthi. 'Ainda pode haver chuvas ocasionais na sexta-feira, mas até lá a tempestade já deve ter se dissipado.'

Segundo o Centro de Alerta, o Gonu deve avançar para o Irã, mas vai continuar enfraquecendo. Uma autoridade iraniana do setor petrolífero disse que o ciclone não deve atrapalhar o fornecimento de petróleo, já que os principais terminais do país ficam dentro do golfo. Em Omã, porém, o único porto de exportação dos 650 mil barris diários produzidos pelo país árabe, Mina al-Fahal, ficou fechado pelo segundo dia, assim como o terminal de Sur, responsável pela exportação de 10 milhões de toneladas ao ano de gás liquefeito.

O porto de Fujairah, nos Emirados Árabes Unidos, no golfo de Omã, está fechado até segunda ordem, e todos os navios foram retirados, disse a agência de notícias estatal. Mais de 180 embarcações passam pela área todos os dias. Fontes da área disseram que por enquanto não há problemas no trânsito de petroleiros. As gigantes Saudi Aramco e Adnoc disseram que não serão afetadas pela tempestade.

- Por enquanto não confirmamos nenhuma vítima. Mas estamos sem energia e os telefones estão desligados em muitas áreas - disse Abdallah al-Harthi, porta-voz da defesa civil de Omã.

A tempestade provocou danos materiais na costa de Omã e dos Emirados Árabes Unidos, mas nada em escala catastrófica. Todos os estabelecimentos públicos e privados estão fechados até domingo devido à tempestade, assim como o aeroporto de Omã. O centro meteorológico de Omã disse que o Gonu pode ser a tempestade mais forte a atingir a costa do país desde 1977. Segundo o The Weather Channel, desde 1945 não há registros de um ciclone tropical atingindo o Irã.