Inmetro investe nos padrões metrológicos para o etanol

Débora Motta, Agência JB

RIO - O desenvolvimento de um padrão de referência para o etanol é a nova aposta do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). A autarquia lança esta semana um programa de ensaios para testar a proeficiência do padrão metrológico utilizado para o álcool combustível. O objetivo é que os componentes do produto atendam às exigências do único padrão internacional para exportação, definido pelo Brasil, Estados Unidos e União Européia.

- Vários laboratórios participam do programa de proeficiência coordenado pelo Inmetro para a medição do etanol atender ao mercado internacional - diz o diretor científico do Inmetro, Humberto Brand.

Para avaliar se as condições químicas do etanol brasileiro estão de acordo com esse padrão, o Inmetro enviou amostras para a instituição equivalente à autarquia brasileira nos Estados Unidos, o 'National Institute of Standards and Technology' (NIST). A pesquisa para desenvolver o padrão metrológico começou em 2005, com o apoio do Ministério do Desenvolvimento, da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) e da Secretaria da Indústria e Comércio de Piracicaba (Semic).

O Inmetro adotou cinco critérios para a análise das amostras fornecidas por usinas: PH, condutividade eletrolítica, massa específica, teor de água e de álcool. Os padrões estabelecidos para as amostras são da Agência Nacional de Petróleo (ANP).

- Os cinco parâmetros já foram definidos num painel setorial com diversos representantes de setores industriais governamentais, em agosto de 2005 - ressalta Brand. - Em setembro de 2006, houve outra reunião para debater a inclusão dos critérios acidez e cobre, parâmetros que estão sendo estudados mas que ainda não foram implementados - acrescenta.

Humberto Brand acredita que o etanol é uma alternativa para reduzir a poluição ambiental, apesar da necessidade de pesquisas sobre os efeitos do álcool combustível:

- Existem questões que devem ser estudadas em relação aos malefícios à saúde que o etanol pode causar. Porém, do ponto de vista do meio ambiente, o etanol é altamente favorável em comparação à gasolina. Isso é importante no que diz respeito ao aquecimento global - avalia.