Dívida do setor agrícola é tema de encontro

São Paulo, 5 de junho de 2007 - Parlamentares da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados se reuniram hoje (5) com o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Na pauta, a renegociação das dívidas do setor agrícola relativas às safras de 2004 e 2005. 'Este ano, os produtores só têm condições de pagar as contas do ano passado, deixando de fora as prorrogações dos débitos dos anos anteriores', frisou o deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS).

Na próxima semana, a Comissão da Câmara, representantes dos ministério da Fazenda e da Agricultura, além de entidades do setor, realizam a primeira reunião para discutir os temas que 'afligem' a produção rural. 'Antes do governo anunciar o Plano Safra, que deve ocorrer nas próximas semanas, queremos definir a situação das contas velhas', sublinhou Heinze.

Segundo ele, Mantega entendeu os reclames do parlamentares. 'Cresce o PIB (Produto Interno Bruto) da agricultura, mas não cresce a renda do agricultor, com exceção de algumas poucas áreas', observou o deputado. Para mudar esse quadro, pontua ele, seria necessário alongar o prazo da dívida dos produtores e diminuir a taxa de juros. 'É humanamente impossível pagar com o câmbio baixo e o baixo preço de produtos como soja, arroz e milho', finalizou.

No final de maio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, levantaram a possibilidade de redução dos juros para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que deve ser anunciado no lançamento do Plano Safra 2007. Hoje, os juros variam de 1,15% a 7,25%. "Não vai zerar [para alguma linha de financiamento], mas vai chegar perto, bem perto", disse Cassel, na oportunidade.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - Investnews)