Confiança dos comerciantes permanece alta

SÃO PAULO, 5 de junho de 2007 - O IFECAP (Índice FECAP de Expectativas nos Negócios) em abril registrou 124,1 pontos, queda de 2,92 pontos em relação ao mês anterior. O resultado é puxado por uma queda generalizada em todos os sub-índices. O Índice-Momento Atual, que capta a situação atual do negócio, caiu 2,28 pontos em relação a abril, enquanto que o Índice-Futuro caiu 3,89 pontos.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, no entanto, o IFECAP, está 7,94 pontos acima do registrado em maio de 2006, com alta tanto nas condições atuais do negócio (9,73 pontos) quanto nas expectativas futuras (5,27 pontos). Essa divergência de sinais pode ser explicada pela adaptação sazonal do índice no mês atual em relação ao mês anterior, sem configurar mudança de tendência de longo prazo na avaliação positiva dos comerciantes paulistas em relação à economia e o setor - em linha com os demais indicadores de expectativa do mercado.

A queda no Índice-Momento Atual, em relação a abril de 2007, é devida às quedas de 1,66 pontos no Índice Momento Atual-Vendas (113,03 pontos em maio contra 114,69 em abril), 2,71 pontos no Índice Momento Atual-Encomendas (de 115,21 para 112,50) e 2,47 pontos no Índice Momento Atual-Situação dos Negócios (de 130,83 para 128,36 pontos em maio).

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, a alta do Índice-Momento Atual é puxada pela variação positiva no Índice-Momento Atual Encomendas (que subiu 12,85 pontos), pela avaliação positiva das vendas atuais (alta de 11,74 pontos), e por uma variação positiva na avaliação da situação atual dos negócios (elevação de 4,59 pontos).

As expectativas futuras caíram em decorrência das quedas de 3,36 pontos no Índice Futuro-Vendas, que variou de 137,08 em abril para 133,72 em maio, e de 4,41 pontos no Índice Futuro-Encomendas, que caiu de 137,29 para 132,88 em maio. Em relação a maio de 2006, as expectativas de vendas futuras dos empresários estão 4,93 pontos acima, enquanto que as expectativas em relação às encomendas futuras estão 5,61 pontos maiores.

Com exceção da alta de 0,33 pontos nas expectativas dos empresários de empresas de médio porte, houve queda nas expectativas dos empresários das empresas de todos os demais portes, com destaque para a queda de 6,78 pontos entre as pequenas empresas. Já as expectativas dos micro-empresários e de empresários de empresas de grande porte, a queda foi menos significativa (1,77 e 1,16 pontos, respectivamente). Do ponto de vista regional, a queda é devida às expectativa dos empresários da capital (queda de 8,40 pontos), enquanto que para os empresários do interior, as expectativas mantiveram-se estáveis (alta de 0,41 ponto)

O IFECAP é calculado mensalmente pela FECAP - Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, único Centro Universitário da capital de São Paulo a ter um de seus cursos avaliados com a nota máxima pelo ENADE (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes). O IFECAP é composto pela compilação de informações sobre o desempenho atual das vendas e das encomendas, bem como a avaliação sobre a situação atual das empresas do comércio varejista. Consideram-se ainda informações sobre a expectativa dos empresários quanto ao desempenho das vendas e das encomendas para os próximos três meses. O IFECAP visa avaliar qual é a percepção dos executivos das empresas quanto ao momento econômico atual e a perspectiva para o futuro próximo.

(Redação - InvestNews)