Alerta de Bernanke faz bolsa cair 0,15%

SÃO PAULO, 5 de junho de 2007 - Seguindo a tendência do fechamento das bolsas no mercado norte-americano, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrou o segundo dia de queda, encerrando o pregão em baixa de 0,15%, para 53.162 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 4,05 bilhões.

Em Nova York, os comentários do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Ben Bernanke, alertando sobre a preocupação com o setor imobiliário e a inflação estimularam um movimento de venda, levando as bolsas norte-americanas a fecharem em baixa. De acordo com relatório da Prosper Corretora, apesar da queda, o cenário permanece positivo, com a sinalização da manutenção da taxa de juros norte-americana em 5,25%.

O mercado de juros futuro aguarda a conclusão da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que define, amanhã, o novo patamar da taxa de juros básica (Selic). A expectativa dos analistas é de que o Comitê reduza em 0,50 ponto percentual a taxa Selic, atualmente 12,50% ao ano. A maioria das projeções de juros dos contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) fechou sinalizando alta em relação ao fechamento de ontem. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) julho deste ano foi o mais negociado, apontou taxa anual de 12,03%, ante 12,04% do último ajuste, com 285,2 mil contratos e giro de R$ 28,2 bilhões.

O dólar comercial fechou a sessão cotado a R$ 1,945 para a compra e a R$ 1,946 para a venda, com alta de 0,99% ante fechamento anterior.

(Silvia Regina Rosa - InvestNews)