Taxa de desemprego aumentou 16% em abril

SÃO PAULO, 1 de junho de 2007 - As informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego, realizada pela Fundação Seade e o Dieese, mostram que a taxa de desemprego total, em movimento típico para o período, aumentou de 15,9%, em março, para 16,3%, em abril, na Região Metropolitana de São Paulo. Esse resultado decorreu da elevação da taxa de desemprego aberto (de 10,4% para 10,9%), uma vez que a de desemprego oculto variou de 5,5% para 5,4%.

O contingente de desempregados foi estimado em 1.646 mil pessoas. O acréscimo de 48 mil pessoas ao contingente de desempregados resultou da relativa estabilidade do nível de ocupação (-4 mil ocupados), simultaneamente à entrada de 44 mil pessoas no mercado de trabalho da região.

Em abril, o nível de ocupação permaneceu praticamente estável, ao contrário de movimento positivo normalmente registrado nesta época do ano. O número de ocupados foi estimado em 8.450 mil pessoas. Entre os setores de atividade analisados, diminuíram os postos de trabalho no agregado Outros Setores (3,7%), houve pequena variação negativa no Comércio (0,6%) e relativa estabilidade na Indústria (-0,1%). Nos Serviços, o nível de ocupação cresceu 0,9%.

Entre fevereiro e março, o rendimento médio real dos ocupados manteve-se praticamente estável (-0,1%), correspondendo a R$ 1.124. O dos assalariados variou positivamente (0,7%) e passou a equivaler a R$ 1.187.

Em abril, o contingente de desempregados no conjunto das seis regiões metropolitanas (Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Distrito Federal) onde a pesquisa é realizada foi estimado em 3.238 mil pessoas, 67 mil a mais do que no mês anterior. A taxa de desemprego total variou de 16,6%, em março, para 16,9%, em abril. A taxa de desemprego aberto cresceu de 11,0% para 11,4% e a de desemprego oculto oscilou negativamente, ao passar de 5,7% para 5,5%.

(Redação - InvestNews)