Selic deve cair 0,50 ponto percentual, diz Itaú

SÃO PAULO, 1 de junho de 2007 - Na próxima reunão do Comitê de Política Monetária (Copom), agendada para os dias 5 e 6 de junho, o colegiado do Banco Central (BC) deve reduzir a taxa Selic em 0,50 ponto percentual, essa é a estimativa do gerente de política monetária do Banco Itaú, Joel Bogdanski. Atualmente, a taxa Selic está em 12,50% ao ano.

Para o executivo, este corte tornou-se necessário para ajustar a taxa real de juros às atuais condições da economia, significativamente melhores do que em abril no tocante às perspectivas de inflação.

Bodganski ressalta ainda que, desde a reunião de abril, tivemos três novas observações da evolução do IPCA (0,22% no IPCA-15 de abril, 0,25% no IPCA de abril e 0,26% no IPCA-15 de maio), mostrando inflação e núcleos em cerca de 3% ao ano; o risco Brasil medido pelo EMBI+ caiu de 155 pontos para 142 na média dos últimos 15 dias; o Brasil foi elevado a um passo abaixo de grau de investimento por duas agências de rating (Fitch e S&P); a taxa de câmbio valorizou-se 4%, de R$ 2,03 para R$ 1,95/dólar; e as expectativas de inflação para os próximos 12 meses recuaram de 3,65% para 3,38%.

A combinação desses fatores reduz a projeção de inflação para os próximos meses e praticamente exige um corte nominal de 0,50 pontos para continuar o processo de flexibilização da política monetária. Um corte menor seria contraproducente, na medida em que estimularia nova apreciação cambial e nova queda da inflação esperada, elevando a taxa real de juros e contribuindo decisivamente para aumentar o risco de ternos inflação abaixo do piso da meta.

(MLC - InvestNews)