Secif-RJ: BC acelera ritmo de queda da Selic

Agência JB

RIO - O Sindicato das Financeiras do Estado do Rio de Janeiro (Secif-RJ) acredita em um movimento de queda mais forte da Selic a partir da próxima reunião do Comitê de Política Econômica do Banco Central (Copom). Segundo a entidade, o corte nos juros básicos será de 0,5 ponto percentual, o que levará a taxa Selic ao inédito patamar de 12% ao ano.

O presidente da entidade que agrega as financeiras, José Arthur Assunção, explica que uma das mais importantes atribuições de um Banco Central é a de defender a moeda com o menor prejuízo possível para o Produto Interno Bruto do país. E é isso, segundo ele, que o nosso BC vem fazendo ao longo dos últimos anos e com extrema competência.

- A inflação brasileira já está em níveis de primeiro mundo e o nosso PIB, apesar de ainda não ter apresentado tanta pujança, promete ficar na casa dos 4,5% a 5% este ano. Não é nenhum crescimento chinês é bem verdade, mas já é um avanço significativo - comemora o executivo.

- O colegiado, nas últimas três reuniões, decidiu por cortes de 0,25 ponto percentual, até porque, segundo as atas divulgadas, o impacto da queda dos juros, desde meados de 2005, ainda não foi digerido completamente, o que poderia comprometer, em algum momento, a meta de inflação, caso a demanda na economia aumentasse de forma descontrolada.

Desta vez, para o presidente do Secif-RJ, vai ser difícil o Copom explicar uma queda na Selic menor que 0,5 ponto. - Existem índices que já estão vindo até com deflação. E a meta de inflação determinada pelo Ministério da Fazenda será cumprida com relativa folga este ano, isto se não ficar abaixo do piso da meta, como já tem gente no mercado prevendo.

- Sabemos que o BC dispõe de dados sempre atualizados e que são primordiais na decisão do colegiado. E, como esses dados não são totalmente do nosso conhecimento, às vezes cometemos algumas injustiças nas nossas críticas, principalmente as centrais sindicais e o empresariado.