Gabrielli defende uso de biocombustível na OEA

SÃO PAULO, 1 de junho de 2007 - O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, destacou o crescente uso das energias renováveis, dando ênfase aos biocombustíveis e, em especial, ao etanol, durante o IV Fórum do Setor Privado da Organização dos Estados Americanos (OEA), na Cidade do Panamá. O IV Fórum do Setor Privado, realizado de 31 de maio a 2 de junho, tem como tema "Energia para o Desenvolvimento nas Américas" e conta com as presenças do presidente do Panamá, Martín Torrijos, e do secretário geral da Organização dos Estados Americanos, Jose Miguel Insulza, entre outros representantes de entidades e empresas do setor.

Gabrielli destacou que o biocombustível traz duas vantagens principais: atenua o aquecimento global e garante maior diversidade energética a custos competitivos. Segundo os dados apresentados pelo presidente da Petrobras, o mercado mundial de biocombustíveis tem grande potencial de crescimento. A previsão é de que, até 2017, os Estados Unidos terá substituído 20% da gasolina por álcool. O Japão, por outro lado, usará 3% de álcool na gasolina até 2010. A Petrobras já mantém negociações com esses dois países para a exportação de álcool.

Segundo ele, a América Latina ocupa posição privilegiada com relação às reservas de óleo e à independência energética. Além disso, a região tem grande disponibilidade de recursos naturais que podem ser aplicados na produção de biocombustíveis.

Gabrielli também falou sobre o plano de negócios da companhia para o período de 2007 a 2011, que prevê investimentos da ordem de US$ 87.1 bilhões; a auto-suficiência brasileira em petróleo e o desenvolvimento de fontes de suprimento de gás natural.

(Redação - InvestNews)