Dólar fraco deve arrefecer venda em abril, prevê indústria

BRASÍLIA, 9 de maio de 2007 - A indústria prevê que o faturamento das empresas brasileiras deve sofrer desaceleração em abril por efeito do dólar cada vez mais desvalorizado na comparação com o real. A previsão foi feita nesta quarta-feira pelos economistas da Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com o economista da entidade, Paulo Mol, essa desaceleração será observada porque o dólar médio caiu de patamar próximo de R$ 2,09 para R$ 2,03 entre os meses de março e abril.

´Isso pode ter impacto nas vendas (indicador que mede o faturamento) de abril. Apesar da demanda interna que tem apresentado números crescentes, o efeito não será neutro´, diz o economista. Mol cita os setores que têm parte relevante da produção exportada como principais alvos do dólar desvalorizado. Ele aposta que o setor de metalurgia, produção de álcool e a indústria de carne devem observar a desaceleração do aumento das vendas.

Apesar da previsão, o coordenador da unidade de política econômica da CNI, Flávio Castelo Branco, acredita que o efeito do dólar não será suficiente para interromper a trajetória de aumento das vendas que é observada desde o segundo semestre de 2005.

(Fernando Nakagawa - InvestNews)