Bolívia tem que pagar 'preço justo' por refinarias

SÃO PAULO, 8 de maio de 2007 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que não há problemas em a Petrobras vender as duas refinarias que tem na Bolívia desde que o país pague o "preço justo" pelas unidades. "Se não for pago o preço justo, vamos buscar os nossos direitos", afirmou, acrescentanto que não há novidades nas negociações entre a estatal brasileira e o governo boliviano.

Ontem, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, anunciou que a empresa vai apresentar à estatal boliviana YPFB (Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos) uma proposta de venda integral das duas refinarias que mantém no país.

"Estamos fazendo hoje [dia 7] uma proposta final para a venda, e esperamos que a Bolívia aceite, pois é um preço justo. Caso não cheguemos a um acordo, iremos às cortes pedir reparação pela expropriação de nossos fluxo de caixa".

Em relação ao gás natural que o Brasil compra da Bolívia, o presidente Lula disse acreditar que não haverá no fornecimento, já que os dois países fizeram um acordo sobre a questão.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)