Atuação dúbia do BC faz dólar subir apenas 0,15%

SÃO PAULO, 8 de maio de 2007 - O Banco Central (BC) atuou pesado no mercado de câmbio para contrabalancear o fluxo, mas conseguiu apenas uma alta de 0,15% do dólar. A moeda estrangeira encerrou a sessão cotada a R$ 2,021 na compra e R$ 2,023 na venda.

No mercado futuro, a autoridade monetária vendeu 16,95 mil contratos de swap cambial com posição ativa em câmbio e passiva em taxa de juros, em uma operação equivalente a US$ 800 milhões. No mercado à vista, recolheu entre US$ 300 milhões a US$ 400 milhões para engordar as reservas internacionais, na casa dos US$ 124 bilhões.

Mirian Tavares, diretora de câmbio da corretora AGK avalia que as atuações conseguem apenas reduzir a velocidade e a intensidade de queda do dólar, mas a tendência de baixa continua. Sidnei Moura Nehme, economista da corretora NGO concorda com a afirmação e acredita que a moeda dos EUA vai romper a barreira dos R$ 2,00 independentemente do esforço do governo.

A megaoperação da semana passada, quando a autoridade monetária vendeu cerca de US$ 3 bilhões em swap cambial reverso, na quinta, e fez mais dois leilões de compra no mercado à vista, na sexta, fato que não acontecia desde janeiro de 2005, é uma prova disto. O resultado de todo este esforço foi uma alta de apenas 0,5% do dólar.

Ontem, a intervenção menos agressiva do BC fez o dólar queimar toda a gordura acumulada nas sessões anteriores. A autoridade monetária adquiriu algo em torno de US$ 400 milhões no mercado à vista e o dólar caiu 0,69%, a R$ 2,02 - mesma taxa de fechamento registrada em 25 de abril, patamar mais baixo desde fevereiro de 2001.

Para analistas, a sobrevalorização do Real ocupa o foco das preocupações do governo, e como uma queda suave da Selic não conseguirá desestimular o ingresso de dólares, os agentes financeiros já trabalham com a convicção de que o próximo corte na taxa básica de juros, em junho, será de 0,5 ponto percentual, para 12% ao ano.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)