Acúmulo de reservas é insustentável a longo prazo

SÃO PAULO, 8 de maio de 2007 - A intervenção do Banco Central (BC) para conter a valorização do câmbio pode retardar a apreciação do real no curto prazo, mas é insustentável ao longo do tempo, afirmou Paulo Leme, diretor do Goldman Sachs. "O estoque de US$ 120 bilhões representa um nível mais que confortável, maior que a média das reservas internacionais. Mais do que isso já não acrescenta nenhum benefício", avalia.

O ex-diretor do Banco Central e sócio da consultoria Tendências, Gustavo Loyola, concorda que as reserva brasileiras já atingiram nível suficiente. Loyola ressalta que a partir desse momento o aumento de reservas tem efeito contrário ao desejado, pois a redução da vulnerabilidade externa atrai maior volume de capitais. "As intervenções do Banco Central podem levar a um aumento da arbitragem por parte dos investidores", afirma.

(Silvia Rosa - InvestNews)