Voto do PT no Conselho de Ética é criticado

SÃO PAULO, 26 de abril de 2007 - O líder do Psol, deputado Chico Alencar, criticou o voto em separado do deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP), que, em linhas gerais, admite a instauração de processos contra deputados por fatos de outra legislatura apenas nos casos que não tenham sido debatidos publicamente. Ele considera a tese frágil, pois, nos casos dos deputados Waldemar Costa Neto (PR-SP) e Paulo Rocha (PT-PA), os dois renunciaram antes da instauração dos processos na Câmara justamente para fugir do debate público. "A realidade mostra que os argumentos de Cardozo não procedem", disse Chico Alencar.

Cardozo alega, em seu voto, que as acusações contra Waldemar Costa Neto e Paulo Rocha, por exemplo, foram divulgadas pela mídia e os eleitores os reelegeram, o que representaria, na prática, a absolvição das acusações imputadas contra eles. O deputado afirma que os processos contra os três deputados só poderiam ser abertos se houvesse fatos novos contra eles ou sentença criminal definitiva.

As informações são da Agência Câmara.

(Redação - InvestNews)