Lula pede mais atenção de chefes de Estado

SÃO PAULO, 26 de abril de 2007 - O presidente Lula pediu hoje, em Santiago do Chile, mais atenção dos chefes de Estado sul-americanos para a integração educacional da região. "Nesses próximos anos de mandato que temos, precisamos transformar o intercâmbio educacional dos países da América do Sul e da América Latina em uma realidade".

O presidente fez as afirmações ao visitar, a escola municipal Liceu República do Brasil, onde foi assinado memorando de cooperação bilateral na área de educação. A escola é uma das dez instituições de ensino do Chile que mantêm laços com a representação diplomática brasileira.

No discurso, Lula disse que algo não está completo no discurso de integração sul-americana e citou como exemplo o fato de, hoje, o intercâmbio dos estudantes da região ser maior com a Europa do que com os países vizinhos. Lula sugeriu que o tema seja tratado nas próximas reuniões dos chefes de Estado da região.

Lula também mencionou o "sonho" de construir a Universidade do Mercosul e propôs um passo adiante: "É necessário criar várias universidades latino-americanas para que nossos jovens possam transitar pelo continente".

Para Lula da mesma forma que as escolas chilenas têm interesse pela cultura brasileira, o Brasil "está fazendo um esforço para compreender melhor a cultura de nossos vizinhos". Ele mencionou, a obrigatoriedade do ensino de espanhol nas escolas pública brasileiras e sugeriu que se incentive o ensino de português nas escolas chilenas.

"Fomos estreitando nossas relações em todos os campos, do comércio ao diálogo político, da integração física à energia, não podemos deixar de lado a educação. Queremos uma cooperação cada vez mais abrangente e ambiciosa, que inclua do ensino básico até os níveis superior e técnico".

A presidente chilena, Michelle Bachelet, também destacou a importância da educação no processo de integração regional. "Queremos a verdadeira integração latino-americana, não queremos um período de integração que logo passe", afirmou Bachelet, acrescentando que esta é a razão de seu país estar "apostando na educação".

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)