CPI não interrompe diálogo com oposição

SÃO PAULO, 26 de abril de 2007 - A criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo não vai dificultar o diálogo com a oposição, na opinião do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Não vou deixar de conversar com a oposição", afirmou. "Se alguns setores da oposição precisam de uma CPI para fazer seu papel no Congresso Nacional, eu entendo isso como normal".

"Todo mundo que faz política sabe que a CPI é um instrumento das minorias", afirmou, em referência aos partidos de oposição, minoria na Câmara dos Deputados. "Se é um instrumento da minoria, e eu já minoria tanto tempo, e tanto tempo eu pedi CPI contra os outros, porque haveria eu de ficar zangado com uma CPI contra o meu governo", disse, em entrevista coletiva após assinatura de acordos com a presidente chilena Michelle Bachelet.

Por 11 votos a zero, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem (25) que a Câmara dos Deputados precisa instalar a CPI do Apagão Aéreo. A CPI, pedida pela oposição, havia sido arquivada pelo presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), após a maioria dos deputados aceitar questão de ordem do líder do PT, Luiz Sérgio (RJ) de que a comissão não tinha objeto definido de investigação, uma das exigências regimentais para instalação de CPI.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)