Ata preserva tom cauteloso, avalia LCA

SÃO PAULO, 26 de abril de 2007 - Para o economista-chefe da LCA Consultores, Luiz Suzigan, a ata do Comitê de Política Monetária (Copom) divulgada hoje, referente a reunião da semana passada, não trouxe mudanças, "preservando o tom cauteloso, embora tenha mostrado sinais favoráveis com relação a inflação". "O Banco Central (BC) ainda parece temeroso com relação ao aquecimento da atividade econômica, destacando a necessidade de tomar cuidado com o uso da capacidade instalada nacional. No entanto, os membros do Copom não antecipam um descompasso entre oferta e demanda no documento", analisa.

Segundo Suzigan, o destaque que as importações recebeu na última reunião já era previsto, uma vez que o assunto faz parte de um contexto importante para a política monetária: "comportamento da inflação, impacto das importações e câmbio favorável".

O economista revela que, apesar do conservadorismo do comitê, ele mantém a aposta de um corte de 0,50 ponto percentual no próximo encontro marcado para junho. "Estamos vivendo um cenário adequado, que permite até duas reduções seguidas de 0,50 ponto", justifica.

(Vanessa Stecanella - InvestNews)