Consumidor no país está menos otimista com o futuro, mostra FGV

REUTERS

SÃO PAULO - O consumidor brasileiro está menos confiante em relação às perspectivas econômicas para os próximos meses, segundo levantamento feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da entidade registrou leitura de 105,7 em abril, uma queda de 1,9 por cento em relação ao dado de março.

- Ao contrário do ocorrido no mês passado, houve melhora das avaliações a respeito da situação presente e deterioração das expectativas em relação aos próximos meses, afirmou a FGV em comunicado divulgado nesta quarta-feira.

Ainda assim, a avaliação sobre a situação atual da economia não é das melhores. Apenas 9,9 por cento dos consumidores consultados pela FGV classificam essa situação como boa. Outros 42,7 por cento a consideram ruim.

- Em relação ao futuro, houve redução, de 31,5 por cento para 23,7 por cento, na proporção de informantes que prevêem melhora na situação econômica local e aumento, de 6,4 por cento para 9,6 por cento, na parcela dos que prevêem piora, afirmou a FGV.

A sondagem da FGV é feita com base em amostra de mais de 200 domicílios em sete das principais capitais brasileiras. A coleta de dados foi feita entre os dias 2 e 20 de abril.