Seguro deve atingir 10% da área plantada

SÃO PAULO, 24 de abril de 2007 - O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Edilson Guimarães, acredita que o seguro rural deve crescer, neste ano, e atingir 10% da área plantada de grãos. No ano passado, esse percentual oscilou entre 2,5% e 3% da área cultivada. Ao todo, em 2006, as lavouras assegurados totalizaram R$ 3 bilhões. Os recursos do governo para subsidiar o prêmio do seguro chegaram a R$ 31 milhões no ano passado.

O secretário informou que neste ano serão liberados R$ 99,5 milhões para subsidiar o seguro rural, valor considerado modesto, 'mas dentro do possível'.

Para o seguro crescer mais no Brasil, Guimarães enfatizou ser necessário, expandir o mercado de resseguros. 'Ainda é um desafio a abertura do mercado de resseguro, fator fundamental. Porque uma seguradora sozinha não consegue absorver todo o risco', disse. "Sem o resseguro é impossível se fazer seguro no Brasil". Ele lembrou do monopólio de resseguro no País. "O IRB era a instituição que operava exclusivamente no Brasil, porém, o governo vem tentando abrir este mercado para atrair resseguradoras internacionais".

Além disso, segundo Guimarães, é necessário criar o Fundo de Catástrofe para apoiar as resseguradoras, caso ocorra fortes problemas climáticos no Brasil. Operação que já está em andamento. O secretário também afirmou que não existem profissionais qualificados para operar seguro no País. 'Estamos montando um curso; existe ainda falta de conhecimento por parte da demanda na contratação do seguro', disse o secretário que representou o Ministro da Agricultura, Reinholds Stephanes, no seminário 'Perspectivas para o Agribusiness 2007/2008', promovido pela Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) em São Paulo.

(Viviane Monteiro - InvestNews)