Comerc Energia analisa o relatório da EPE

SÃO PAULO, 20 de abril de 2007 - Em seu relatório mensal, a Comerc Energia apresenta alguns pontos do balanço preliminar da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculada ao Ministério das Minas e Energia, sobre o Balanço Energético Nacional (ano base 2006). O estudo é feito todos os anos com o objetivo de consolidar e difundir estatísticas de todo o setor energético. O documento completo será divulgado no segundo semestre deste ano.

Dentre os resultados de 2006, comparativamente a 2005, destacam-se crescimento de 5,6% na produção, de 34% nas exportações e redução de 4,7% nas importações de petróleo; crescimento de 0,9% na produção, de 23,5% nas importações e de 4,9% nas exportações de derivados de petróleo; manutenção do nível de produção de gás natural e crescimento de 8,8% na importação; crescimento de 12% na produção de cana-deaçúcar, de 17,7% na produção de açúcar e 10,8% na produção de etanol.

Houve um crescimento de 50% nas exportações de etanol e 4,5% de crescimento no consumo de energia elétrica por consumidores cativos, livres e autoprodutores no País. Na geração de energia, houve um crescimento de 4,4% e 5,4% na importação de energia elétrica, a Oferta Interna de Energia (OIE).

A Oferta Interna de Energia (OIE) é medida em toneladas equivalentes de petróleo (tep) e abrange todos os energéticos disponíveis no país, para todas as finalidades: combustíveis, uso industrial, eletricidade etc.

A OIEE representa apenas uma parte da OIE: equivale hoje a 14,6% do total.

Segundo a EPE, a oferta interna de energia total no Brasil, em 2006, chegou a 229,7 milhões de tep (toneladas equivalentes de petróleo) sendo que, deste total, 44,4% correspondem à oferta interna de energia renovável. Este percentual é um dos mais altos do mundo, permanecendo muito além da média mundial de 13,2% e da média de apenas 6,1%, dos países que compõem a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

(Ivonéte Dainese - InvestNews)