Câmbio dispara importação de produtos populares

SÃO PAULO, 19 de abril de 2007 - Segundo números da Associação Brasileira dos Importadores de Produtos Populares (ABIPP), as vendas do setor devem ser alavancadas não só pelo aumento na quantidade de produtos, mas também pela elevação da qualidade dos populares que estão sendo trazidos ao País. O dólar na casa dos R$ 2 permite aos importadores a compra de produtos mais sofisticados pelo mesmo valor de similares mais simples.

"Com esse câmbio conseguimos trazer produtos de maior qualidade praticamente iguais aos mais simples de anos anteriores", explica o presidente da ABIPP, Gustavo Dedivitis, por meio de comunicado.

Em maior quantidade, as vendas destes produtos populares acontecem em 55 mil postos de vendas em todo o País, que geram aproximadamente 250 mil empregos diretos e outros 200 mil indiretos. "Todos ganham: o consumidor das classes D, E, as "loja de R$ 1,99", e os preços internos baixos mantêm inflação sob controle."

O setor de produtos populares (nacionais e importados) espera crescer cerca de 8% em 2007 e faturar R$ 11 bilhões, em vendas de 130 milhões de unidades. Os populares importados representam quase 30% deste mercado. Deste percentual 90% são originários da China.

"Com trabalho sério que estamos realizando junto aos nossos importadores, demonstramos às autoridades brasileiras que o produto popular tem qualidade, é legalmente importado, tem certificado de origem e resgata a uma população economicamente menos favorecida o direito de consumo", afirma Dedivitis.

(Redação - InvestNews)