VCP tem lucro 3% maior no 1o trimestre do ano

REUTERS

SÃO PAULO - A Votorantim Celulose e Papel registrou no primeiro trimestre alta de três por cento no lucro líquido na comparação com o mesmo período de 2006, apoiada por ganhos cambiais em operações de empréstimos em moeda estrangeira.

A companhia teve resultado líquido positivo de 163 milhões de reais de janeiro a março, ante ganho de 159 milhões de reais obtidos no mesmo período de 2006.

A empresa registrou 119 milhões de reais de receita financeira no primeiro trimestre por conta da valorização do real contra o dólar. Nos primeiros três meses de 2006, o ganho nessa linha havia sido de 20 milhões de reais.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), somou 233 milhões de reais, sem considerar o resultado de 50 por cento das operações em Americana (dividida com a Suzano no interior de São Paulo).

Esse resultado representa uma queda de 5 por cento na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. A margem Ebtida, de 32 por cento, ficou 5 pontos percentuais menor no período.

Incluindo a participação da empresa em Americana, o Ebitda no trimestre passado somou 263 milhões de reais, com margem de 36 por cento.

A companhia informou em comunicado que a queda no Ebitda deve-se a redução de 4 por cento no câmbio médio, menor margem de revenda dos produtos da unidade de Americana e compra de celulose a preço de mercado para a unidade de Piracicaba, no interior paulista.

A VCP vendeu de janeiro a março 255 mil toneladas de celulose, alta de 13 por cento sobre o primeiro trimestre do ano passado. Já as vendas de papel avançaram 3 por cento, para 159 mil toneladas.

A receita líquida somou 724 milhões de reais, aumento de 9 por cento sobre o primeiro trimestre de 2006.

A VCP planeja investir 785 milhões de reais em 2007, incluindo as atividades da empresa em Americana. Desse total, 182 milhões de reais foram aplicados no primeiro trimestre.