JP Morgan Chase obtém lucro recorde no primeiro trimestre

Agência EFE

NOVA YORK - O lucro líquido do grupo financeiro JP Morgan Chase, o terceiro maior dos Estados Unidos, aumentou 55% no primeiro trimestre e chegou a US$ 4,787 bilhões, o número mais alto da história da companhia.

Segundo as contas publicadas nesta quarta feira, o lucro por ação ficou em US$ 1,34, muito acima dos US$ 0,86 do ano passado e dos US$ 1,02 que eram esperados pelos analistas.

O faturamento cresceu 25%, a US$ 19,74 bilhões.

A responsável pela forte alta dos lucros foi a unidade de bancos corporativa e atacadista do grupo, que aproveitou o auge de fusões e aquisições, assim como a profusão de operações de emissão de dívida e ações.

A empresa anunciou nesta quarta feira a primeira alta em seis anos do dividendo que pagará aos acionistas e um plano de recompra de ações no valor de US$ 10 bilhões.

A unidade de bancos de investimento registrou um aumento do faturamento de 30% no período, a US$ 6,3 bilhões, graças ao aumento das comissões cobradas pelas operações de emissão de dívida e ações, nas quais atuou como entidade seguradora.

Este fator permitiu à unidade fechar o primeiro trimestre com um lucro de US$ 1,5 bilhão, 81% a mais que no ano passado.

Os bancos particulares, que o grupo desenvolve com a rede de filiais Chase, lucraram no primeiro trimestre US$ 859 milhões, 2% a menos que em 2006, apesar de o faturamento ter crescido 9%.

A unidade de cartões de crédito alcançou um resultado líquido de US$ 765 milhões, 15% inferior, enquanto os bancos comerciais (ou de empresas) ganharam US$ 304 milhões, 27% a mais.

O departamento de gestão de ativos registrou neste período um aumento nos lucros de 36%, a US$ 425 milhões, especialmente graças à atividade de bancos privados, que gerou uma receita no valor de US$ 560 milhões, 27% a mais.