ABN quer 35 euros por ação ou mais do Barclays, dizem fontes

REUTERS

LONDRES - O banco holandês ABN Amro quer que o britânico Barclays pague ao menos 35 euros por cada uma de suas ações, no momento em que as duas partes tentam chegar a um acordo que criaria a quinta maior instituição financeira do mundo, disseram fontes próximas ao assunto na terça-feira.

- O ABN espera alguma coisa na segunda metade dos 30 euros, disse uma fonte.

As negociações exclusivas entre ABN e Barclays ficaram ameaçadas com o anúncio, na sexta-feira, de interesse de um consórcio formado por Royal Bank of Scotland, Santander e Fortis no banco holandês.

O ABN Amro deve pedir mais detalhes do líder do consórcio, o Royal Bank of Scotland, sobre os planos de compra, como um preço indicativo para o negócio e a estrutura da transação. Isso antes de decidir se permitirá uma 'due diligence' sobre seus ativos para o trio de bancos, disseram fontes.

O Barclays e o ABN iniciaram conversas exclusivas no dia 19 de março e o prazo para essas negociações termina na quarta-feira. Mas o período pode ser estendido, segundo fontes.

Procurados, ABN e Barclays recusaram-se a fazer comentários.

O ABN tem forte presença no Brasil, onde comprou os bancos Real e Sudameris.