ASSINE
search button

Dia tranquilo com investidor à espera de Copom

Compartilhar
SÃO PAULO, 29 de novembro de 2006 - A espera pelo resultado da última reunião do ano do Comitê de Política Monetária (Copom), que definirá no final da tarde o rumo da taxa Selic, fixada em 13,75% ao ano, marcou os negócios desta quarta-feira. O consenso no mercado é de que haverá uma nova redução de 0,50 ponto percentual.

As projeções de juros dos contratos negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) fecharam a sessão sinalizando queda. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2007 foi o mais negociado. Este contrato tinha 663,3 mil negócios fechados e giro de R$ 65,6 bilhões. A taxa passou de 13,28% para 13,27%. O vencimento de dezembro, que concentra as apostas para a reunião de hoje, sinalizava juro anual de 13,48%, contra 13,49% do último ajuste.

Logo pela manhã, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que a inflação medida pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) registrou alta para 0,75% em novembro. O indicador veio abaixo do esperado pelos analistas de mercado que previam um resultado entre 0,80% e 0,86%.

No front externo, os agentes financeiros monitoraram o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) da economia norte-americana que cresceu 2,2% na taxa anualizada durante o terceiro trimestre. A previsão era de crescimento em 1,8%. De acordo com o Departamento de Comércio, o maior ritmo de crescimento reflete um aumento nos estoques, constatação que tem seu efeito negativo sentido no quarto trimestre.

Amanhã, o mercado deve refletir a decisão do Copom em relação aos juros e a divulgação do PIB brasileiro referente ao terceiro trimestre.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews - Serviço de Mercado e Cotações - SMC)