ASSINE
search button

Fusão não afeta rating da Lojas Americanas

Compartilhar
SÃO PAULO, 27 de novembro de 2006 - A agência de classificação Fitch informou que o Rating Nacional da segunda emissão de debêntures das Lojas Americanas (Lasa) não será afetado em razão do anúncio da fusão proposta entre a Americanas.com, subsidiária integral da Lojas Americanas, e a Submarino, resultando na criação da B2W - Companhia Global de Varejo (B2W).

"A Fitch entende que não haverá alteração na qualidade de crédito da companhia no momento da fusão e que a possibilidade de captura de relevantes sinergias poderá incrementar a futura geração operacional de caixa consolidada da Lasa. A contribuição da Americanas.com no Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) consolidado da Lasa foi de 37,3% no período de janeiro a setembro de 2006", destaca comunicado enviado pela agência.

O processo de fusão prevê a troca de ações da Submarino por ações da B2W. Os acionistas da Submarino possuirão 46,75% do capital da B2W e receberão uma distribuição extraordinária de dividendos no montante de R$ 500 milhões. A Lasa terá 53,25% do capital da nova companhia e fará uma capitalização de R$ 175 milhões na Americanas.com antes da transação.

A alavancagem da Lasa não será afetada após concluída todas as etapas do processo de fusão. Sua alavancagem, medida pelo indicador dívida líquida ajustada/EBITDA, ficará praticamente em linha com o perfil apresentado antes da fusão, com elevação de 2,7 vezes para 2,8 vezes, com base nos últimos 12 meses, já considerando a posição pro forma da B2W. A Fitch espera que, em face das prováveis sinergias, tal indicador se fortaleça no decorrer de 2007. Todavia, a agência acredita que o potencial ganho de sinergia de R$ 800 milhões anunciado pela Lasa é elevado frente ao porte da atividade da B2W. Tal captura será um desafio e não foi incorporada na análise do perfil creditício.

A consolidação, em bases pro forma, dos resultados da Americanas.com e do Submarino na B2W, para os nove primeiros meses de 2006, indica, para a nova companhia, Ebitda de R$ 133 milhões, dívida total de R$ 275,7 milhões e disponibilidades de R$ 425,1 milhões. Concluídos todos os desembolsos e aportes de caixa previstos na fusão, a B2W deve manter disponibilidades em torno de R$ 100 milhões e preservar o volume de dívida total.

De forma isolada, no mesmo período, Americanas.com e Submarino apresentaram Ebitdas de R$ 93,1 milhões e R$ 40 milhões; dívida total de R$ 273,3 milhões e R$ 2,4 milhões; e disponibilidades de R$ 53,1 milhões e R$ 372 milhões, respectivamente.

(Redação - InvestNews)