Jornal do Brasil

Economia - Agropecuária

Exportação de carne suína do Brasil avança 2,6% em setembro, diz ABPA; receita salta 31%

Jornal do Brasil

As exportações de carne suína do Brasil avançaram 2,6% em setembro na comparação com igual período do ano passado, atingindo 58 mil toneladas, informou nesta sexta-feira a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Ainda de acordo com a entidade, a receita gerada pelos embarques da proteína saltaram 31,6% no mês, com 124,4 milhões de dólares. Os dados consideram todos os produtos, entre in natura e processados.

“As vendas para a Ásia, especialmente para a China, mantêm as exportações brasileiras de carne suína em fluxo positivo”, disse em nota o presidente da ABPA, Francisco Turra.

Com uma epidemia de peste suína africana afetando sua criação de porcos há cerca de um ano, a China ampliou importações de proteínas, ajudando em uma alta de preços do produto —apenas em agosto, o rebanho chinês de suínos encolheu em 38,7% na comparação anual, segundo dados governamentais.

No acumulado do ano, as exportações brasileiras de carne de porco atingiram 524,2 mil toneladas, alta de 12,15% ante os nove primeiros meses de 2018. As receitas no período totalizam 1,080 bilhão de dólares, elevação de 21,1%.

CARNE DE FRANGO

Por outro lado, setembro não foi tão positivo para as exportações de carne de frango do Brasil, in natura e processadas, com os embarques recuando 11% versus mesmo mês do ano passado e somando 323 mil toneladas, de acordo com a ABPA.

No mês, as receitas atingiram 538,4 milhões de dólares, retração de 6,9%. (Reuters)