Correios: governo decide vender 100% da estatal em único leilão; votação deve ser semana que vem

Seguindo a privatização da Eletrobras, governo quer agilizar processo de privatização dos Correios para que não aconteça "um desastre no orçamento", segundo secretário do Ministério da Economia

Folhapress / Eduardo Matysiak
Credit...Folhapress / Eduardo Matysiak

Em informação confirmada nesta terça (6) por Diogo Mac Cord, secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, foi divulgado o modelo de privatização dos Correios, com o qual se pretende desfazer de 100% do capital da estatal.

Após conseguir aprovar a privatização da Eletrobras, o governo quer votar com urgência na Câmara o projeto de privatização dos Correios antes do recesso parlamentar, sendo a data ideal para votação entre 12 e 15 de julho, de acordo com a mídia.

"Por isso é tão importante votar na Câmara antes do recesso. Se não, o cronograma começa a ficar comprometido. O projeto precisa estar resolvido até agosto. Publicamos o edital em dezembro para que a licitação ocorra em março", declarou o secretário.

Na visão do secretário, mediante dados apresentados em um estudo do BNDS (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), "os Correios precisam ser privatizados, sob pena de desastre no orçamento".

Os dados teriam apontado que a empresa não tem tecnologia, tem baixa produtividade e que o faturamento no ano passado caiu 6% em relação a 2019.

Ainda segundo Cord, não há valor previsto para a privatização, mas pretensão é vender o controle da empresa de forma integral, em um leilão tradicional, "com abertura de envelopes". O comprador levaria ativos e passivos da companhia.(com agência Sputnik Brasil)