Preço do petróleo caminha para maior queda em mensal 6 meses devido à tensão comercial

LONDRES, 31 Mai (Reuters) - Os contratos futuros do petróleo estão a caminho de sua maior queda mensal em seis meses nesta sexta-feira, com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aumentando as tensões comerciais, o que pesa sobre as perspectivas de demanda.

O petróleo Brent recuava 1,93 dólar, ou 2,89%, a 64,94 dólares por barril, às 11:36 (horário de Brasília).

O petróleo dos Estados Unidos caía 1,24 dólar, ou 2,19%, a 55,35 dólares por barril.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu na quinta-feira aumentar as tarifas sobre todos os bens do México, a menos que o país impeça a imigração ilegal, aumentando os temores sobre o crescimento econômico e o apetite por petróleo.

"Refinarias dos EUA importam cerca de 680 mil barris por dia de petróleo mexicano. A tarifa de 5% adiciona um extra de 2 milhões de dólares ao custo de suas compras diárias", disse a corretora PVM em nota.

A disputa comercial com o México soma-se a uma guerra comercial em andamento entre os Estados Unidos e a China, que muitos analistas acreditam que pode desencadear uma recessão.

Os preços do Brent, referência global, caminham para uma queda de cerca de 11% em maio, enquanto o WTI pode cair 14%, nas maiores perdas mensais desde novembro.

REUTERS PS LC

(Por Shadia Nasralla)