Jornal do Brasil

Economia

Wall Street recua após resultados fracos de bancos

Jornal do Brasil AMY CAREN DANIEL

15 Abr (Reuters) - As acções dos EUA caem nesta segunda-feira, pressionadas pelas perdas nas acções financeiras, com os lucros dos grandes bancos de Wall Street, Goldman Sachs e Citigroup, a não conseguirem impressionar.

O Goldman Sachs Group Inc caiu 2,6 pct, enquanto o Citigroup Inc caiu 1 pct. Ainda assim, ambos os bancos superaram as estimativas de lucro trimestral, mas as suas receitas falharam.

O sector financeiro mergulhou 0,48 pct, e o índice bancário do S&P caiu 0,66 pct. Em contraciclo, o sector da saúde brilhou.

O Dow Jones Industrial Average caiu 38,21 pontos, ou 0,14 pct, para 26.374,09. O S&P 500 caiu 3,06 pontos, ou 0,11 pct, para 2.904,35, e o Nasdaq Composite caiu 9,48 pontos, ou 0,12 pct, para 7.974,68.

Das 29 empresas do S&P 500 a relatar resultados até agora, 79,3 pct superaram a estimativa de lucros do primeiro trimestre, acima da média dos últimos quatro trimestres, de acordo com dados da Refinitiv.

Os analistas esperam que as empresas do S&P 500 mostrem um declínio de 2,3 pct em relação ao ano anterior nos lucros, a sua primeira contracção anual desde 2016.

A Boeing Co caiu 0,7 pct depois do Presidente dos EUA, Donald Trump, ter pedido ao fabricante de aviões num tweet para consertar e fazer um "re-brand" do seu jato problemático.

A empresa de consultoria de marcas Brand Finance disse que a publicidade negativa sobre a aterragem da sua linha de jatos 737 MAX está destinada a eliminar 12 mil milhões de dólares do valor da marca da empresa.

A Nike Inc aumentou 0,7 pct após Tiger Woods, embaixador de longa data da marca, ganhar o título de Masters, encerrando uma seca de 11 anos por títulos importantes. (História Completa)

O índice S&P registou 48 novos máximos de 52 semanas e um novo mínimo, enquanto o Nasdaq registou 56 novos máximos e 19 novos mínimos.

Texto original em inglês: (Reportagem de Amy Caren Daniel Traduzido para português por André Vitor Tavares em Gdynia Newsroom Editado em português por Gonçalo Almeida)