Audiência de Guedes na CCJ é marcada por discussões

Tensão fez Bolsa cair e dólar subir nesta quarta-feira

Por mais de cinco horas e com vários bate-bocas, o ministro da Economia, Paulo Guedes, apresentou nesta quarta-feira (3) a proposta da Reforma da Previdência à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O ministro mais emblemático do governo de Jair Bolsonaro encontrou um clima tenso na CCJ e discutiu com parlamentares da oposição em vários momentos. Deputados do PSOL chegaram a levantar cartazes com os dizeres como "PEC da Morte" e "Reforma para banco lucrar". Guedes, por sua vez, defendeu que o atual modelo de Previdência é uma "fábrica de desigualdades" e que a proposta do governo pretende retirar privilégios.


Ele citou como exemplo o valor médio das aposentadorias dos deputados e dos servidores na Câmara dos Deputados, que segundo o ministro é 20 vezes superior à aposentadoria média do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). "A aposentadoria média [na Câmara] é 20 vezes a aposentadoria média do INSS. A aposentadoria do INSS é R$ 1,3 mil.

A aposentadoria média nesse ambiente é de R$ 28 mil. A nossa reforma tenta justamente endereçar esses problemas. Com escala progressiva [nas alíquotas de contribuição], estamos removendo privilégios", declarou o ministro.


Mas as discussões entre o ministro e os parlamentares da oposição assustaram os investidores. O índice Ibovespa fechou em queda de 0,94%, com o dólar subindo 0,55% e encerrando o pregão em R$ 3,8780. (