Relator da reforma na CCJ elabora 3 pareceres, mas prefere o da admissibilidade

O relator da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), tem dito a aliados que pretende preparar três versões do parecer sobre a matéria que será apresentado semana que vem, segundo apurou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Uma primeira versão será pela admissibilidade total da proposta de reforma enviada pelo governo de Jair Bolsonaro. Um segundo texto sugere o desmembramento de trechos da proposta, cujos temas não estejam diretamente relacionados à Previdência. Um terceiro parecer vai propor emendas supressivas no texto da equipe econômica.

A intenção do relator, segundo apurou a reportagem, é ter "cartas na manga" para serem usadas de acordo com o termômetro de apoio à proposta na CCJ. Freitas tem preferência pelo parecer da admissibilidade total, mas a avaliação é de que a construção do apoio a essa versão do relatório precisa ser feita pelo governo.

Na área econômica, existe a confiança de que já se tem os votos para aprovar a admissibilidade na CCJ e de que a apreciação de pontos específicos da matéria será concentrada na comissão especial, para evitar que a reforma passe por dois estágios de desidratação.