Ex-presidente da Renault Carlos Ghosn concederá coletiva em 11 de abril em Tóquio

O ex-presidente da Renault-Nissan, Carlos Ghosn, em prisão domiciliar no Japão depois de permanecer mais de 100 dias em uma penitenciária, concederá uma entrevista coletiva em 11 de abril, anunciou a conta do executivo franco-brasileiro-libanês no Twitter.

"Estou preparado para dizer a verdade sobre o que está acontecendo. Entrevista coletiva na quinta-feira 11 de abril", afirma a breve mensagem de Ghosn em sua conta certificada.

A porta-voz de Ghosn confirmou a informação à AFP.

"Ghosn está bem e reflete minuciosamente sobre a declaração que deseja fazer. Isto acontecerá em um futuro próximo", afirmou na terça-feira seu principal advogado, Junichiro Hironaka.

Ghosn foi detido em 19 de novembro no aeroporto de Tóquio e acusado por um crime fiscal e por abuso de confiança.

O executivo foi liberado em 6 de março, após o pagamento de uma fiança de oito milhões de euros, e desde então se encontra em prisão domiciliar.

O ex-presidente da Nissan e Renault se declara inocente de todas as acusações.

bur-anb/phv/zm/ra/fp