Dólar cai de olho em exterior positivo antes de encontro entre Bolsonaro e Trump

O dólar segue em baixa no mercado doméstico na manhã desta terça-feira, 19, em meio á espera de um condutor mais forte para os negócios, especialmente se for relacionado à reforma da Previdência, neste primeiro dia de reunião de política monetária do Federal Reserve (EUA) e do Copom, do BC.

Os dois bancos centrais anunciam nesta quarta-feira, 20, suas decisões sobre juros. No radar desta segunda vai ficar a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), que realiza audiência pública para debater a proposta de reforma da Previdência (10h).

Além disso, no começo da tarde, as atenções devem se voltar para o encontro entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na Casa Branca (13h05). Depois, os dois concedem entrevista coletiva conjunta (14h45).

Às 9h19 desta terça, o dólar à vista caía 0,33%, aos R$ 3,7789. O dólar futuro para abril recuava 0,38%, aos R$ 3,7805. Na segunda-feira, o dólar já fechou em queda de 0,76%, cotado em R$ 3,7914, o menor valor desde 1º de março.

Profissionais de câmbio ressaltaram que a moeda acompanhou o enfraquecimento do dólar no mercado internacional, em meio a expectativas pela reunião do Federal Reserve, que poderá reduzir a previsão para as altas de juros nos Estados Unidos.

O fluxo de recursos externos na tarde desta segunda para aplicações na B3, segundo operadores, também ajudou a divisa a cair abaixo do nível de R$ 3,80, patamar que estava se mostrando importante piso psicológico para a moeda nas últimas sessões.

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ajudou na queda do dólar ao afirmar que não tem dúvidas de que a reforma da Previdência será aprovada ainda no primeiro semestre. Já o ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou em Washington que o governo vai se esforçar para apresentar as medidas de alteração das aposentadorias dos militares aos parlamentares nesta quarta-feira (20) e que a reforma certamente melhorará as expectativas de empresas para realizar investimentos no País.