BC chinês diz que acordo com EUA está próximo

PEQUIM - O presidente do Banco Central da China (BPC, na sigla em inglês), Yi Gang, afirmou ontem, em coletiva de imprensa, que está cumprindo a promessa de evitar a desvalorização da moeda local para impulsionar as exportações, enquanto representantes americanos e chineses discutem um possível acordo comercial.

Gang disse que as delegações estão próximas de fechar um acordo comercial. "Ambos os lados chegaram a um consenso em muitas questões cruciais e importantes", afirmou. Ele participou da última reunião entre as duas delegações, em Washington.

Gang afirmou que as delegações "discutiram que ambos os lados devem aderir ao princípio do regime de taxa de câmbio determinado pelo mercado" para evitar "usar taxas extra para fins competitivos". "Nós enfatizamos que nunca usaremos a taxa de câmbio para fins competitivos, nem vamos usá-la para impulsionar as exportações da China", apontou. Segundo Gang, os negociadores discutiram "como respeitar o direito de cada uma das autoridade decidir a própria política monetária". E a importância do "princípio de uma variação determinada pelo regime cambial de livre mercado".