Concessão de aeroportos terá leilões dia 15 na B3

O primeiro leilão de concessões na infra-estrutura do governo Bolsonaro - dos três blocos de aeroportos - foi marcado para sexta-feira (15), às 10h, na B3, a Bolsa de Valores de São Paulo. Localizados nas regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste, os 12 aeroportos, juntos, recebem 19,6 milhões de passageiros por ano, o que equivale a 9,5% do mercado nacional de aviação. O investimento previsto para os três blocos é de R$ 3,5 bilhões. Terça-feira, as empresas e consórcios devem apresentar as propostas para cada lance em duas vias em envelopes lacrados, com garantias e documentos.

Em novembro, conforme o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), o valor mínimo de outorga, para arrematar os 12 terminais, será de R$ 219 milhões, à vista. Ao longo da concessão (30 anos) o valor total da outorga é de R$ 2,1 bilhões.

Macaque in the trees
Os 12 aeroportos que irão a leilão na sexta-feira movimentam 19,6 milhões de passageiros/ano (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil, os 12 aeroportos leiloados são os de: Cuiabá, Rondonópolis, Sinop e Alta Floresta (MT); João Pessoa, Recife, Maceió, Aracaju, Juazeiro do Norte (CE), Campina Grande (PB); Macaé (RJ) e Vitória (ES). Os investimentos têm prazo de até quatro anos.

Russos deixam Norte-Sul

O leilão da ferrovia Norte-Sul, principal da agenda do governo, marcado para 28 de março, com lance mínimo de R$ 1,3 bilhão, pode ter mais uma baixa. A estatal russa RZD, uma das maiores companhias ferroviárias do mundo, informou que não deve participar. Segundo a empresa o edital publicado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres contém uma série de fragilidades que acabam beneficiando as empresas Rumo e VLI, que já operam malhas ferroviárias que se interligam ao trecho que corta o eixo central do Brasil, com 1.537 quilômetros de extensão, ligando Porto Nacional (TO) a Estrela D'Oeste (SP). Seria a primeira concessão ferroviária em 12 anos.