CRISE NA VENEZUELA

Houve um blecaute de 24 horas na Venezuela. A estratégia de ajuda humanitária de Juan Guaidó, autoproclamado presidente do país, fracassou. Ele não conseguiu que os caminhões que estavam na fronteira entrassem no território.

Melhor para Nicolás Maduro, que não tem respaldo popular e se mantém pela força, enquanto os militares apoiam o seu governo. A população vive um período de terror com a inflação desenfreada, a falta de alimentos nos supermercados e o desemprego. Na Venezuela não há luz no fim do túnel.

João Cardoso Ramalho

Rio de Janeiro

RECADASTRAMENTO

Minha mãe é pensionista do governo do estado do Rio de Janeiro. Ela tem 97 anos e está em home care. Não pode sair de casa. A Rio Previdência está fazendo o recadastramento e exige que ela vá ao banco.

A opção oferecida é fazer uma procuração ao custo de R$ 500. Da mesma forma age o INSS no seu recadastramento. Um desrespeito ao Estatuto do Idoso. Um atestado médico declarando que ela está viva e impossibilitada de comparecer ao banco resolveria essa situação injusta e constrangedora.

Helio Campagnucio

Brasília-DF

EQUIVALÊNCIA

No Dia da Mulher, o presidente Bolsonaro disse que o seu ministério está equilibrado, porque cada uma das suas duas ministras, equivale por cada um dos seus dois grupos de 10 ministros. Pela lógica do presidente, cada ministro tem apenas um décimo da capacidade de uma das ministras.

Abel Pires Rodrigues

Rio de Janeiro

ARMADILHAS DA REFORMA

As armadilhas contra o trabalhador na PEC da Previdência são muitas. Os militares aumentam para 35 anos o tempo para a aposentadoria, mas com vantagens: criação de mais um posto graduado, reajuste no soldo, além da paridade e integralidade. Na capitalização, cada trabalhador abre uma conta bancária para garantir a aposentadoria, mas o valor e a fórmula de cálculo não são definidos. Há muitos registros de suicídios de aposentados chilenos, onde Bolsonaro copiou a fórmula.

Antonio Negrão de Sá

Rio de Janeiro

PREVIDÊNCIA DOS MILITARES

O presidente informa que "o texto que envolve os militares é fácil de ser aprovado". Em nome da isonomia, proponho que votem primeiro a proposta de reforma dos militares. Aí o povo civil terá noção do sacrifício que cada classe pretende fazer.

Carlos Elisio

Rio de Janeiro