Jair Bolsonaro: 'Reforma, ou o país pode ir à beira do caos'

Brasília - O presidente, Jair Bolsonaro, voltou a defender ontem a aprovação da reforma da Previdência. "O Brasil é um país que se continuar sem reformas a tendência nossa é chegar à beira do caos e não queremos isso", disse, em conversa com a imprensa após a cerimônia de entrega de credenciais dos diplomatas, no Palácio do Planalto. Otimista, disse que a proposta pode ser aprovada ainda no 1º semestre.

O presidente reforçou que os militares vão participar da reforma e que "ninguém ficará de fora". "Vão entrar até os militares com sua cota de sacrifício", garantiu. Por não se tratar de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que necessita de apoio maior, considera que o texto que envolve os militares pode ser aprovado com celeridade. "É muito fácil. Pode chegar lá em uma semana na Câmara e em uma semana no Senado e estar solucionada a questão", disse.

Ontem à rádio Jovem Pan, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse que a data final para entrega do projeto que altera as regras para aposentadoria dos militares é 20 de março. A proposta deverá começar a ser analisada na próxima semana pelas consultorias jurídicas das três forças armadas e, em seguida, passar à validação da pasta da Economia.

Bolsonaro espera que o texto da reforma não sofra muitas alterações no Congresso e garantiu que o governo fará de tudo para que não seja desidratado, mas ponderou que respeita a "autonomia do Parlamento caso alguma mudança seja feita".