Temor de desaquecimento mundial mais forte empurra Ibovespa para baixo

Diante do clima ruim no exterior, o Ibovespa não escapou de abrir em queda nesta sexta-feira, 8, após a leve alta da véspera (de 0,13%, aos 94.340,17 pontos), já perdendo a marca dos 94 mil pontos. O temor de enfraquecimento econômico mundial mais intenso que o esperado ganhou hoje novo reforço após a divulgação de dados do comércio exterior chinês de fevereiro, que mostraram, principalmente, forte recuo das exportações.

Além disso, o relatório de emprego dos Estados Unidos de fevereiro decepcionou, ao informar a criação de apenas 20 mil vagas, ficando bem inferior à estimativa de geração de 185 mil postos e aquém de janeiro (311 mil). Já a taxa de desemprego ficou em 3,8%, menor que o esperado de 3,9%.

Os dados tendem a agregar ainda mais a insegurança quanto ao impasse nas negociações comerciais Estados Unidos e China.

"A perspectiva de desaquecimento intenso começa a preocupar mais ainda, e afeta o mundo inteiro. Tem ainda a indefinição da guerra comercial China/EUA. O Brasil não tem como escapulir. O Ibovespa pode se safar um dia ou outro por causa de alguma informação sobre a reforma da Previdência, mas hoje parece que não irá", avalia um operador.

O retrato de uma economia chinesa mais fraca empurrou o mercado asiático para o negativo e também atinge as bolsas europeias, que ainda se ressentem das projeções menores do Banco Central Europeu (BCE) para o crescimento da zona do euro, informadas na quinta-feira.

"Intensificando preocupações quanto à tendência de desaceleração da economia global, os dados de comércio exterior da China de ontem frustraram os mercados acionários, diante de quedas maiores que as esperadas de importação e exportação em fevereiro", ressalta em nota o Bradesco.

As exportações chinesas registraram declínio significativo de 20,7%, enquanto as importações caíram 5,2%. O superávit comercial foi de US$ 4,12 bilhões, ante previsão US$ 24,45 bilhões.

No pré-mercado norte-americano, a sinalização também é de abertura em baixa dos índices acionários. Da mesma forma, o petróleo segue em queda forte no exterior. No Brasil, às 10h47, o Ibovespa caia 0,75%, aos 93.621,97 pontos.

Apesar da expectativa de um olhar mais acurado hoje dos investidores locais ao cenário internacional, o quadro doméstico também será acompanhado, já que há dúvidas se de fato a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) será instalada na Câmara na semana que vem.

"Alguns partidos estão indicando que só vão votar a favor da proposta de reforma da Previdência quando sair o projeto de aposentadoria para os militares", diz a fonte.