Em janeiro déficit externo supera IDP

Brasília - Após déficit de US$ 815 milhões em dezembro, janeiro ficou negativo em US$ 6,548 bilhões nas transações correntes, informou ontem o Banco Central. O número de janeiro foi o pior para o mês desde 2015 (déficit de US$ 12,010 bilhões). A balança comercial teve saldo de US$ 1,633 bilhão, enquanto a conta de serviços foi negativa em US$ 2,560 bilhões. A conta de renda primária (que inclui remessas de lucros e dividendos) teve déficit de US$ 5,793 bilhões. Na conta financeira, o rombo foi de US$ 5,632 bilhões.

Janeiro teve queda de 30% em investimento estrangeiro no setor produtivo frente a igual mês de 2018. Os ingressos de US$ US$ 5,9 bilhões não foram suficientes para cobrir o déficit das contas externas. Para o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, o IDP inferior aos déficit das transações correntes em janeiro, é "pontual". Segundo ele, pode ter havido uma antecipação de fluxos de IDP no 2º semestre de 2018, quando houve aceleração desses investimentos. Além disso, Rocha destacou que os dados preliminares deste mês indicam aumento da entrada desses recursos. Em fevereiro, até o dia 21, o IDP chegou a US$ 5,7 bilhões, com estimativa de US$ 7 bilhões para o mês. A previsão do BC para o déficit em conta corrente neste mês é de US$ 2,2 bilhões.

O departamento econômico do Itaú-BBA lembra que os dados do investimento direto no país têm sido confortáveis no acumulado de 12 meses, desde janeiro de 2016. Este ano, apesar da perda em janeiro acumula o melhor resultado acumulado de IDP: US$ 86 bilhões, cobrindo com folfa de US$ 71 bilhões o déficit em conta corrente em 12 meses. O Banco Central prevê déficit em conta corrente de US$ 35,6 bilhões em 2019. Dados preliminares divulgados pelo BC (até dia 21 de fevereiro) mostram entradas de US$ 6,0 bi de IDP.

Déficit de viagens

A conta de viagens internacionais voltou a registrar déficit em janeiro, com o recuo de 5,75% do dólar ante o real os brasileiros gastaram lá fora mais US$ 986 milhões que os estrangeiros desembolsaram no Brasil. Para este ano, o BC estima um déficit de US$ 17,0 bilhões na conta.